MUNDO - ÁFRICA DO NORTE


Região desertica e semidesertica, excepto na Tanzânia e Seychelles. Nas montanhas há florestas e vegetação densa. O Nilo é o rio principal e dá água para a agricultura de uma grande extensão.

- Outras informações sobre a ÁFRICA

Escolha um destino...

Argélia
O Norte é muito mais habitado. No Inverno o Atlas recebe as chuvas necessárias para o cultivo. Vinha, Oliveiras. O Centro e Sul é deserto. Berberes e Nomadas, desde 3000AC. Invadido sucessivamente por causa do controlo do comercio das caravanas de camelos no Sahara. Controlo da França entre 1830 e 1962 que terminou após prolongados combates. Nessa altura, cerca de um milhão de colonos abandonou o país. Enormes reservas de petróleo, gás natural e minérios (sobretudo ferro). Rápido desenvolvimento com forte industrialização. Planeamento rígido e centralização resultaram até aos anos 80, em ineficiência e insuficiencias. Sérias dificuldades para o investimento externo e turismo.
Djibuti
Desertico com poucos oásis. Concentração da população no Porto de Djibuti (acesso à Etiopia). Conflitos regionais resultam em grande pobreza para o país.
Egipto
Uma das primeiras civilizações do Mundo (3000AC). Monumentos magníficos (pirâmides). Governado por outros impérios durante quase 2500 anos. Independente da Grã-Bretanha em 1936. País desertico. Faixa estreita de povoações e agricultura em redor do rio Nilo. O canal do Suez (1869) encurta as viagens maritimas entre a Europa e o Extremo Oriente e é forte fonte de divisas. A barragem de Assuão (1971) fornece água para pessoas e cultivo, energia electrica e protecção contra inundações. Forte desenvolvimento do comercio e indústria (petróleo, gás, texteis e aço). Cairo (16 milhões de habitantes) tem bairros miseráveis. Várias guerras. Tratado de Paz com Israel (1979). Problemas com a divisão das águas do Nilo com o Sudão e a Etiópia.
Eritreia
Independencia da Etiopia (1991) conquistada pelas armas em combates que duraram quase 30 anos. Pequenas áreas de cultivo e pastagem em torno de Asmara. Deserto nas terras baixas junto à costa. Porto de Massawa de grande importancia para o país. Minas, petróleo, pescas e turismo.
Etiópia
Era conhecida por Abissínia. Independente à mais de 2000 anos, excepto numa curta ocupação Italiana nos anos 30. Igreja Cristã própria desde 330DC. Planalto e montanha (mais de 4000 metros). Chuvas suficientes para o cultivo de cereais e outros. Gado. Periodicamente, secas enormes. Deserto e semideserto nas terras baixas. País muito pobre. Populações quase autosuficientes pelo cultivo de pequenas parcelas de terreno. Poucas estradas, electricidade e infraestruturas. Programa de modernização iniciado pelo Imperador Hailé Selassié. O regime comunista minou a economia do país. Agravamento económico com as guerras com a Eritreia e Somália. Retoma recente da modernização. Melhoramentos agricolas e controlo da erosão. Potencial para a produção de energia hidroeléctrica.
Líbia
Deserto. Disputada durante 2000 anos. Independente desde 1951. Era um país pobre que se tornou rico à custa do petróleo. Enormes sistemas de irrigação retiram água de lençóis subterraneos em pleno Sahara. Forte industrialização nas cidades do litoral. Culturas mediterrâneas e gramíneas no Norte, graças às chuvas de Inverno. Fortes sanções comerciais provocadas pelas conhecidas ligações do Coronel Kaddafi com organizações terroristas internacionais. Nos últimos anos tem havido alguma abertura (tímida) ao turismo.
Marrocos
Banhado pelo Atlântico a Oeste e o Mediterrâneo a Norte. Montanhas com mais de 4.000 metros. Forte agricultura com variedade de frutas e legumes. Fosfatos. Industria conserveira de fruta, têxteis, montagem automóvel e turismo. Marrocos foi muito importante durante a invasão dos Mouros à Península Ibérica (Século XIV) e nessa altura a capital era Fes. Esteve sob o domínio Francês de 1912 a 1956, ano em que reconsquistou a independencia.
Quénia
O país congrega várias tribos africanas e não tem mais de um século de existência. As terras altas do Sudoeste são férteis e por isso tem atraído colonos que vem da Europa. O clima é seco. O território é pouco habitado. Independente desde 1963. Desenvolvimento económico baseado na agricultura, alguma indústria e sobretudo turismo (vida selvagem nos Parques Naturais). Rápido crescimento demográfico. Tensões políticas inibem o investimento estrangeiro. Os maiores problemas políticos foram em 1997, contra o presidente Daniel Arap.
Seychelles
Mais de 100 ilhas de coral e granito. Paraíso tropical. Praias de areia branca e montes com florestas. Muito turismo. Pretendidas pela França e depois pela Grã-Bertanha. Independente desde 1976.
Somália
Chuva em pouca quantidade e apenas nas montanhas. Os rios Djuba e Shabeelle dão água para a agricultura, que também existe nas montanhas. Exportação de bananas, gado, carne e curtumes. Independente desde 1960. Falharam a invasão do Ogaden na Etiópia, zona onde vivem Somalis. Combates tribais no interior do país, até à decada de 90. País muito pobre e com grandes secas.
Sudão
Revolta dos povos Africanos do Sul contra o domínio dos Árabes que vinham do Norte. Independencia em 1956. Guerra civil até aos anos 90, fez mais de 1 milhão de mortos e 3 milhões de desalojados. Deserto no Norte e Savana no resto do território, onde se cultivam gramíneas tropicais e amendoim e se cria gado. Grandes secas em 1988 e 1994 provocam muita miséria. Nilo Azul e Nilo Branco junto aos quais se cultiva algodão, cana-de-açucar e outras culturas tropicais para exportação. A guerra civil parou o projecto de escoamento dos pantanos da região de Sudd. A comunidade internacioanl isolou este país por causa do alegado apoio ao terrorismo internacional.
Tanzânia
Grande variedade de povos. Independente desde 1961. Território elevado na sua maior parte. Kilimanjaro (5.895m). O interior é mais fresco do que o litoral e terras baixas. Pouca chuva. 15 milhões de pessoas foram deslocadas de regiões dispersas, para aldeias onde mais facilmente tem acesso a cuidados de saúde. No entanto, com a queda da produção agricola, a maioria das pessoas regressaram às terras de origem. Abundante vida selvagem. Paisagens espectaculares. Forte potencial para o desenvolvimento do turismo.
Tunísia
Extremo oriental das Montanhas do Atlas. Agricultura na parte Setentrional. Olivais e laranjais. Petróleo, fosfato e outros minerais. Deserto no Sul com grandes depósitos de sal. Independente desde 1956. Estabilidade política. Turismo baseado nas praias e nos vestigios Romanos.

Colónias e Territórios Dependentes

Mayotte
País Tutelar: França

Território Britânico do Oceano Índico
País Tutelar: Reino Unido

- Outras informações sobre Colónias e Territórios Dependentes